Qual é sua Visão Pessoal?

6 de fevereiro de 2018 - Planejamento Pessoal

O que é a Visão.

A Visão é uma declaração que expressa o que você espera do seu futuro; o que você deseja SER, TER ou FAZER num determinado período de tempo, o qual se denomina horizonte de planejamento (1 ano, 3, anos, 5 anos, etc.).

Não são poucos os autores que falam do poder da visão pessoal. O primeiro autor a identificar a necessidade e importância de se manter uma visão foi Viktor Frankl. Frankl, psicólogo sobrevivente dos campos de concentração nazistas, descobriu através da observação do comportamento de seus companheiros que os que sobreviviam eram aqueles que tinham uma visão pessoal, ou seja, uma ideia de que havia um futuro melhor adiante e que algo ainda precisava ser feito por eles. Não uma ideia abstrata, uma esperança vaga, mas um ideal, uma vontade de realizar alguma coisa específica.

A visão fez com que Viktor Frankl superasse todas as dificuldades vividas como prisioneiro e passasse a planejar como seria sua vida após sair daquele inferno. Frankl tornou-se professor e escritor e dedicou sua vida a ensinar as pessoas a encontrarem um sentido para suas vidas, mesmo sob condições em que tudo parece perder o sentido.

A visão pessoal é a capacidade de determinar um ponto de referência no futuro e buscá-lo com todas as forças. Quando você tem uma visão, você consegue ver sentido em pequenas coisas do dia-a-dia que parecem insignificantes, consegue motivar-se, superar obstáculos, enfrentar desafios, pois sabe que está lutando por algo que deseja muito. Quando a pessoa não tem uma visão, fica à mercê dos acontecimentos cotidianos, faz as coisas automaticamente para continuar sobrevivendo sem lutar por nada. A desmotivação se instala e a pessoa fica sem forças para enfrentar obstáculos e desafios, pois não compreende os porquês em sua vida.

A visão tem o poder de dar sentido a coisas aparentemente insignificantes. Para que você atinja um grande e distante objetivo pode ser que você tenha que executar diversas atividades que não têm sentido para outras pessoas. Você consegue compreender o sentido, pois essas atividades são pequenas partes de um grande quebra-cabeças, que é o seu objetivo.

Visão é diferente de propósito. Propósito é semelhante a um direcionamento geral. Visão é um destino específico, uma imagem de um futuro desejado. Nada acontece até que exista a visão, mas é verdade que uma visão sem senso de propósito subjacente é apenas uma boa ideia. Por outro lado, propósito sem visão não faz sentido.

A coragem de assumir a visão pessoal distingue as pessoas com altos níveis de domínio pessoal. Ou como dizem os japoneses a respeito do grau de mestre: “ Não há nada, nenhuma distância, nem mesmo um fio de cabelo, que possa se interpor entre a visão de um homem e a sua ação”.

Veja um exemplo de Declaração de Visão Pessoal.

Walt Disney faleceu antes da construção e inauguração de uma importante Montanha-Russa em um de seus parques temáticos, e no dia da inauguração, durante um discurso empolgado, uma jovem disse o seguinte:

– É uma pena que Walt não está aqui para ver esta maravilha.

Quando a jovem finalizou seu discurso, Lilian, a esposa de Walt Disney, agradeceu as palavras da jovem, e fez uma pequena correção:

– Minha jovem, desculpe corrigi-la, mas você está equivocada. Walt foi primeiro a ver esta Montanha-Russa. Só agora nós a estamos vendo concretizada, mas foi ele o primeiro a vê-la, porque em seu coração, ela já existia há muito tempo!

Certamente a construção dessa montanha-russa fazia parte da visão de Walt Disney.

Por que você precisa de uma visão pessoal?

É natural do ser humano querer entender as coisas para poder se envolver e se dedicar a algo. Imagine se em seu trabalho alguém lhe pedisse para que fizesse algo, mas não lhe dissesse o porquê. Você sentiria que aquela atividade não tem razão de ser e não se sentiria motivado a executá-la. Desejaria saber por que tem de fazer aquilo. Em nossas vidas, vamos acumulando – mesmo que sem querer – diversas atividades cujos sentidos não compreendemos. Fazemos porque é normal, porque todo mundo faz ou porque “achamos” que devemos fazer, sem nos questionarmos verdadeiramente sobre o sentido daquilo. Aos poucos, vamos nos desmotivando, pois enchemos nossos dias com atividades sem sentido. Passamos a viver uma vida automática, com atividades previsíveis e repetitivas. Aos poucos, vamos matando nosso potencial criativo, a nossa capacidade de sonhar, de realizar. Acostumamo-nos a uma realidade da qual não gostamos e nem sequer tentamos mudá-la. Esse é o resultado da falta de uma visão pessoal.

Nas palavras de Peter Senge, autor de A Quinta Disciplina, não se pode entender a verdadeira visão sem levar em consideração a ideia de propósito. E por propósito, entende-se a razão de viver de uma pessoa. Como vimos antes, todo ser humano deve ter um propósito – uma Missão – entretanto, propósito ainda é diferente de visão. Segundo Senge, “o propósito é abstrato; a visão é concreta; propósito é semelhante a um direcionamento geral; visão é um destino específico, uma imagem de um futuro muito desejado”.

Quando você estabelece uma visão genuína, você é capaz de dar tudo de si e aprender o que for necessário para atingi-la, não porque você é obrigado, mas porque deseja aquilo do fundo do seu coração. Infelizmente, muitas pessoas têm visões que nunca serão traduzidas em resultados práticos. Assim, elas se dedicam a admirar pessoas famosas em vez de construir a própria história, a criticar o esforço alheio em vez de tentar algo para si, a desfazer a visão alheia em vez de construir a sua própria visão.

Uma das maiores dificuldades para se manter a visão pessoal, ainda que esta seja muito clara, é a distância entre a visão e a realidade. Você gostaria de montar o próprio negócio, mas logo pensa que não tem dinheiro suficiente. Você gostaria de ser um grande pesquisador, mas seu pai era advogado e você também acabou se tornando para agradá-lo. Você deseja ser escritor de ficção científica, mas precisa sobreviver e pagar as contas. Dependendo do ângulo de observação, a missão o estimula e ao mesmo tempo sufoca suas esperanças.

A falta de alinhamento entre a visão (aquilo que você quer) e a realidade atual (o que você não quer ou não gosta) provoca medo, frustração e desesperança, além de roubar-lhe tempo e energia vital. Embora você possa estar vivendo uma fase de transição, dificilmente haverá de recuperar o tempo canalizado para fazer algo que nada tem a ver com a sua verdadeira essência ou vocação.

Talvez você tenha medo do fracasso, dos comentários maldosos, das bobagens que você lê nas revistas, das críticas que você ouve pelos corredores, do ceticismo dos seus colegas e até mesmo dos seus familiares. Talvez você ache esse negócio de visão e missão uma grande bobagem, coisa de americano, algo difícil de ser aplicado na vida pessoal, principalmente quando comparado às dificuldades que você enfrenta para entender a própria visão e a missão da empresa em que você trabalha.

A questão é simples: não é o que a visão é, mas o que a visão é capaz de fazer com você. Na maioria dos casos, as pessoas querem uma fórmula mágica, uma técnica, um segredo capaz de resolver todos os seus problemas. Para o seu próprio bem, não existe esse tal de almoço grátis, portanto, você precisa mudar o seu comportamento, desenvolver novas habilidades, quebrar paradigmas, livrar-se de modelos mentais negativos e transformar a si mesmo todos os dias. Você jamais conseguirá definir e perseguir uma visão de futuro sem mudar de mentalidade.

Conforme afirma Stephen Covey, “A Visão envolve enxergar um estado futuro com o olho da mente. A visão é a imaginação aplicada. Todas as coisas são criadas duas vezes: primeiro na mente e depois no mundo físico. A primeira criação, a visão, é o início do processo de reinvenção da pessoa ou organização. Ela representa desejos, sonhos, esperanças, objetivos e planos. Mas esses sonhos e visões não são apenas fantasias. São uma realidade ainda não trazida à esfera física, como a planta de uma casa antes desta ser construída ou uma partitura à espera de ser tocada”.

Como Escrever sua Declaração de Visão

A primeira coisa que você deve fazer para escrever sua declaração de visão é pensar no que você quer SER, TER ou FAZER daqui até uma data que estabelece o limite do seu horizonte de planejamento. Ou seja, descrever seu futuro desejado.

É importante que a declaração de visão atenda alguns requisitos básicos, dentre os quais cabe destacar:

  • O horizonte de planejamento deve ser consistente com sua capacidade de visualizar o futuro que você deseja. Horizontes de planejamento muito grandes (10, 15 ou 20 anos) podem tornar sua visão superficial e pouco precisa pela dificuldade natural de imaginar o que poderá acontecer nesse prazo. Talvez um horizonte de planejamento entre 3 e 5 anos seja mais razoável para a maior parte das pessoas. No futuro, você terá oportunidade de rever sua visão e alterar o horizonte de planejamento, se for o caso.
  • A declaração de visão deve, preferencialmente, ser bastante abrangente, envolvendo a maior parte das dimensões da vida.  Se necessário, revisite este módulo para lembrar disto quando estiver redigindo sua declaração de visão. Sobre este tópico recomendamos que leia o nosso post sobre “A Roda da Vida”, clicando aqui.
  • Ao redigir sua declaração de visão, não se preocupe com o fato de eventualmente não dispor hoje dos recursos necessários (dinheiro, habilidades, tempo, experiência, etc.) para alcançar seu futuro desejado. Não permita que uma situação deste tipo lhe induza a retirar do seu futuro desejado algo que você almeja muito.
  • A declaração da visão deve ser realista; isto é, deve levar em consideração aquilo que de fato é viável de alcançar. De nada adianta colocar na sua visão ser um medalhista olímpico, por exemplo, se você não gosta de praticar esportes, ou ser um músico erudito reconhecido internacionalmente, se você não tem a menor aptidão para tanto.
  • A declaração de visão deve incorporar alguns indicadores quantitativos específicos, de tal forma que você possa avaliar, num determinado momento, se está indo na direção certa e quanto do seu futuro desejado já se transformou em realidade. Em relação a isto, é importante lembrar que só se gerencia aquilo que se mede.

Tendo estes requisitos em mente, escreva seu primeiro rascunho. Deixe a caneta rabiscar no papel sem muita preocupação em formar frases muito elegantes. Escreva as coisas como vierem a sua cabeça. Volte a sua lista de reflexões sempre que necessário. Lembre dos seus sonhos. A realização de alguns deles certamente fará parte do seu futuro desejado e, portanto, da sua visão.

Seja honesto consigo mesmo. Quanto mais honesto você for consigo mesmo, mais marcante e mais apropriada será sua declaração.

Escreva seu segundo e terceiro rascunhos, conforme julgar necessário. Em cada rascunho, torne mais sofisticada sua escrita, ortografia ou aparência.

Como Avaliar a sua Declaração de Visão

Após concluir sua declaração de visão, é recomendável avaliar sua qualidade. Esta avaliação é bastante simples e procura, basicamente, examinar se a declaração atende alguns requisitos considerados desejáveis.

A tabela abaixo ilustra como esta avaliação pode ser feita.

Se você verificar que a resposta para alguma das perguntas acima é negativa, revise e, se necessário, altere sua declaração de Visão.

Conclusão

A Declaração da Visão faz parte do processo de Planejamento Estratégico Pessoal, o qual é, sem dúvida, uma atividade de extrema relevância para qualquer pessoa, independentemente de idade, sexo, escolaridade e profissão.

O Planejamento Estratégico Pessoal, que é o processo através do qual se elabora o Plano de Vida, possibilita:

  • Aumentar significativamente seu nível de autoconhecimento (diagnóstico estratégico).
  • Identificar seus direcionadores estratégicos (Missão, Visão e Valores).
  • Definir objetivos e metas para equilibrar e aumentar o seu nível de satisfação pessoal.
  • Estabelecer os planos de ação necessários para alcançar seus objetivos.
  • Selecionar indicadores que lhe permitirão monitorar e controlar a execução dos planos de ação.

A PERSPECTIVA Consultores Associados estuda e pesquisa este tema há muito tempo, e tem plena convicção de quanto o planejamento estratégico pode ser útil e importante para um grande número de pessoas.

É exatamente esta convicção que nos levou a decidir desenvolver um Programa de Planejamento Estratégico Pessoal, o qual, muito mais do que um negócio, constitui uma ação de responsabilidade social da empresa.

O Programa é composto por seis etapas e dezoito módulos sequenciais que abordam todos os aspectos envolvidos no processo de elaboração do Plano de Vida ou Plano Estratégico Pessoal.

O Programa de Planejamento Estratégico Pessoal NÂO É apenas um curso. Trata-se de uma consultoria de processo que permite aos participantes elaborar, passo a passo seu Plano Estratégico Pessoal, através dos “deveres de casa” feitos após a conclusão de cada módulo do Programa.

Se você deseja conhecer mais detalhes sobre o Programa de Planejamento Estratégico Pessoal da Perspectiva Consultores Associados, clique aqui.

Se você quer conversar com um dos nossos consultores, basta entrar em contato conosco através do e-mail perspectiva@perspect.com.br

 

Deixe seu comentário