A Janela de Johari

10 de abril de 2020 - Autoconhecimento, Janela de Johari, Planejamento Estratégico Pessoal

A Janela de Johari

A Janela de Johari é um modelo de comunicação por meio do qual alguém dá ou recebe informações sobre si mesmo e sobre os outros. Este modelo foi desenvolvido por dois psicólogos chamados Joseph Luft e Harrington Ingham, em 1961.

O nome Johari é formado pelas iniciais dos dois psicólogos que criaram a tal janela, que mostra a interação entre a nossa autopercepção e a maneira como os outros nos veem. Ela nos revela “porque a gente é do jeito que a gente é”.

A Janela de Johari constitui uma ferramenta importante para ajudar-nos a compreender melhor a nossa percepção sobre nós mesmos e em relação aos outros. 

Pode haver uma grande diferença entre a percepção que temos de nós mesmos e a forma como os outros nos avaliam. O problema é que essa diferença pode representar um grande prejuízo para a sua carreira e dificuldades em sua vida pessoal. 

Frase Jô Soares - As pessoas estão tão  acostumadas a ouvir  mentiras, que sinceridade  demais choca e faz com que você pareça arrogante.

Por exemplo, podemos nos achar perfeccionistas, mas os que convivem conosco podem estar insatisfeitos com essa nossa suposta qualidade, achando, na verdade, essa “perfeição” um defeito, por tornar a vida delas um transtorno, devido às nossas exigências “perfeccionistas”.

Outro exemplo: você pode se considerar uma pessoa sincera, mas os outros à sua volta podem estar enxergando você como uma pessoa crítica, por conta de sua “extrema sinceridade”. Frequentemente, você acredita, realmente, que é de um determinado jeito, mas acontece que as pessoas podem estar percebendo você de uma maneira completamente diferente.

Muitas vezes, você crê, de fato, que é de uma determinada maneira. Contudo, as pessoas podem perceber você de forma completamente diferente.

Criar sua própria Janela de Johari pode ser uma forma para verificar o quanto sua percepção está alinhada com a imagem que os outros têm de você.

Frase Andy Warhold - Quando EU me olho  no espelho, só sei que não me vejo como os  outros me veem.

O modelo da Janela de Johari analisa os quatro quadrantes ilustrados da figura abaixo, denominados: Eu Aberto; Eu Cego; Eu Oculto e Eu Desconhecido, os quais serão discutidos nos tópicos seguintes.

Eu Aberto 😀

Caracteriza-se pela utilização ampla e equilibrada de busca de feedback e de autoexposição, permitindo franqueza e empatia pelas necessidades dos outros. O comportamento da pessoa, em sua maior parte, é claro e aberto para o grupo, provocando menos erros de interpretação por parte dos outros.

A área maior é a do eu aberto, ou de livre atividade, gerando expectativas de maior produtividade, por meio da redução de conjecturas sobre o que a pessoa está tentando fazer ou comunicar.

Inicialmente, esse estilo pode conduzir à defensividade nos outros, por não estarem habituados a relações interpessoais autênticas. Isso pode ser ameaçador ou  até mesmo inadequado em algumas situações ou contextos. Em médio e longo prazo, entretanto, a tendência é estabelecerem-se normas de franqueza recíproca, de tal modo que confiança mútua e criatividade possam ser desenvolvidas para um relacionamento significativo e eficaz.

Eu Cego 👓

O indivíduo utiliza intensamente o processo de autoexposição e muito pouco o de solicitar feedback. Sua participação no grupo é atuante, dando informações, mas solicitando pouco. Diz às pessoas o que pensa delas, como se sente em relação a elas, externa sua posição no grupo, podendo criticar frequentemente a todos, na convicção de que está sendo franco, honesto e construtivo.

Os outros podem percebê-lo como egocêntrico, com confiança exagerada nas próprias opiniões e orgulhoso da sua autoridade, além de insensível ao feedback que lhe fornecem. Consequentemente, os outros tendem a sentir-se lesados em seus direitos, sem receber a devida consideração, e podem desenvolver sentimentos de insegurança, hostilidade, ressentimento e defensividade em relação à pessoa.

Eu Secreto 🤫

Caracteriza-se por uma tendência a perguntar muito sobre si mesmo, como os outros o percebem, o que acham de suas ideias e atos, utilizando preferencialmente o processo de solicitar feedback. Ao mesmo tempo, indica pouco desejo de se expor, ou pouca abertura, o que pode ser interpretado como sinal de desconfiança nos outros.

Diferencia-se do Eu Desconhecido pela vontade expressa de manter relações com nível razoável de participação no grupo, através de pedidos frequentes de feedback, solicitando informações quanto a ideias, opiniões e sentimentos dos outros. Procura, geralmente, saber a posição dos outros antes de comprometer-se, o que, em longo prazo, acaba levando as outras pessoas a se irritarem ou se retraírem, gerando sentimentos de desconfiança, reserva, ansiedade, desgosto e hostilidade.

Há, certamente, inúmeras razões para a pessoa não se expor e usar menos o processo de dar informações sobre si mesma. Uma delas pode ser o medo de ser rejeitada ou agredida. Outra é não receber aprovação ou apoio, se os outros conhecerem seus verdadeiros pensamentos e sentimentos. 

Eu Desconhecido 👤

A Janela Johari, pelo formato e proporções de suas áreas, evidencia o predomínio da área desconhecida com seu potencial inexplorado, criatividade reprimida e psicodinâmica pessoal preponderante.

Os dois processos são usados em grau reduzido, trazendo um relacionamento praticamente impessoal. A pessoa parece ter uma carapaça em torno de si, exibindo comportamentos rígidos e aversão a assumir riscos, ficando retraída e observando mais do que participando.

Esse estilo parece estar relacionado a sentimentos de ansiedade interpessoal e busca de segurança, canalizando sua energia para manter-se quase como sistema fechado, em vez de utilizá-la para autodescoberta e crescimento pessoal.

O estilo tende a gerar hostilidade nos outros, pois a falta de relacionamento é, geralmente, interpretada em função das necessidades das outras pessoas, e essa lacuna afeta sua satisfação. É encontrado, com frequência, em organizações burocráticas, nas quais, muitas vezes, é até conveniente evitar abertura e envolvimento.

Janela de Johari

Uma Mensagem Final

A PERSPECTIVA Consultores Associados estuda e pesquisa este tema há muito tempo, e tem plena convicção de quanto o Planejamento Estratégico Pessoal pode ser útil e importante para um grande número de pessoas.

É exatamente essa convicção que nos levou a decidir desenvolver um Programa de Planejamento Estratégico Pessoal, o qual visa a auxiliar aquelas pessoas que sentem alguma dificuldade para elaborar seu Plano Estratégico Pessoal sozinhas.

O Programa é composto por seis etapas e dezoito módulos sequenciais que abordam todos os aspectos envolvidos no processo de elaboração do Plano de Vida ou Plano Estratégico Pessoal.

Se você deseja conhecer mais detalhes sobre o Programa de Planejamento Estratégico Pessoal da Perspectiva Consultores Associados, basta entrar em contato conosco através do e-mail perspectiva@perspect.com.br.

Esperamos que o conteúdo deste post tenha sido de seu interesse, estimulando-o a conhecer outros assuntos vinculados ao processo de Planejamento Estratégico Pessoal.

Esperamos também sua visita frequente ao nosso blog e contamos com você para compartilhar os conteúdos nele apresentados com seus familiares, amigos, colegas de trabalho, etc., através das redes sociais das quais você participa. Desta forma, poderemos contribuir para a melhoria da qualidade de vida de um número significativo de pessoas.

Por favor, deixe seus comentários abaixo. Eles serão sempre do nosso interesse e de todos nossos leitores, ajudando-nos a melhorar de forma continua o conteúdo do blog. 🙂

Deixe seu comentário