E depois da pandemia, o que será?

13 de abril de 2020 - Planejamento Estratégico Pessoal, Plano de Vida

E depois da pandemia, o que será?

No momento em que este post foi escrito, o Brasil tinha dobrado o número de casos de coronavírus em uma semana, e o total de mortos pela covid-19 já chegava a 1.124, segundo o Ministério da Saúde, com mais de 20 mil pessoas contaminadas. No mundo, já existiam 1.778,486 de casos confirmados e 112.899 mortes, segundo a Universidade John Hopkins. 🏥

Trata-se de uma doença desconhecida, para a qual não existem remédios nem vacina, que se espalha por todos os continentes e países do mundo. Inúmeras medidas têm sido adotadas por todos os países, sob a orientação da Organização Mundial da Saúde. Elas tentar diminuir o contágio, de forma a atenuar o aumento incontrolável de mortes, em decorrência do colapso da rede de saúde dos países. Estes não têm capacidade (leitos, equipamentos de proteção, respiradores e profissionais treinados) para atender a todas as pessoas que seriam infectadas ao mesmo tempo, caso medidas não fossem implementadas para “suavizar a curva de contágio”. 

Como todos sabemos, o mundo atravessa uma crise sem precedentes causada pelo coronavírus. 

Sabemos também que o número de vítimas ainda irá crescer de forma exponencial nos próximos meses, até atingir o chamado “platô da curva”. 📉

Para piorar a situação, constata-se que existem sérias dificuldades para adquirir os equipamentos necessários para ampliar, minimamente, a capacidade de atendimento das redes de saúde. Isso ocorre principalmente, em função de um verdadeiro monopólio da produção, com capacidade insuficiente para atender a demanda atual, que, em muitos casos, tem abusado dessa situação para aumentar abusivamente os preços praticados. 

Dentre as medidas que têm sido adotadas pelos governos do mundo, o isolamento social é, pelo menos até agora, a de maior impacto para atingir o objetivo pretendido.  👤

O isolamento social implica que as pessoas devem adotar uma forma de vida e de convivência totalmente diferentes da que estão acostumados. Algumas delas, ainda assim, recusam-se a praticá-lo, mesmo que isso signifique colocar em risco suas própria vidas e a de terceiros. 

Além disso, como é de conhecimento público, o isolamento social traz uma série de consequências na economia dos países, cujos efeitos serão sentidos por um tempo muito maior do que a própria pandemia, principalmente no caso dos mais pobres. Dentre estes efeitos cabe destacar: 

  • Paralisação de todas as atividades consideradas não essenciais, por um tempo significativo;
  • Falência de micro, pequenas e médias empresas;
  • Aumento significativo do desemprego;
  • Perda de renda de trabalhadores informais;
  • Investimentos não previstos em equipamentos de saúde;
  • Aumento da inadimplência, etc. 

Desta forma, além das medidas sanitárias, os governos de todos os países têm sido forçados a adotar medidas de natureza econômica, visando a atenuar os efeitos maléficos causados pela pandemia na economia, incluindo empresas e pessoas. 

Estas medidas implicam volumes de recursos extremamente relevantes, não previstos naturalmente, com expressivo impacto nas contas públicas. Elas perdurarão por um longo tempo, até alcançar a situação que existia antes da pandemia e recomeçar um lento processo de recuperação. Para isso, oportunamente, todos os cidadãos serão certamente chamados a contribuir. 💪

Ao Poder Legislativo dos diversos países, também tem cabido desempenhar um importante papel no combate à pandemia, aprovando, em tempo recorde, uma série de leis, decretos e outras normas, visando, principalmente, a facilitar e agilizar a gestão da crise por parte do Poder Executivo. 

De igual forma, o Poder Judicial não tem ficado à margem desses esforços, tomando decisões, de forma extremamente célere, sobre diversas matérias que lhe são submetidas com o mesmo objetivo – facilitar e agilizar a gestão da crise por parte do Poder Executivo. 

O outro lado da mesma moeda

A palavra chinesa para “crise” é composta por dois caracteres. Um representa risco e o outro representa oportunidade. 

No caso específico da pandemia do coronavírus, todos nós conhecemos os riscos, até porque a mídia não nos deixa esquecer deles. 

Mas, e as oportunidades, será que elas existem? 

Na nossa opinião, não apenas elas existem, como começam a se tornar evidentes. Veja alguns exemplos. 🧐

Desapego e Consumismo

Muitas pessoas estão se conscientizando, da pior forma possível, de que as posses materiais em nada contribuem para livrá-los dos riscos da pandemia. Quando faltam leitos de UTI, todos são iguais, independentemente da sua classe econômica, da sua profissão, do seu cargo e do seu status. Em uma situação como essa, todos os privilégios desaparecem como por encanto. Aprendem que o apego a bens materiais e aos privilégios que eles momentaneamente geram não faz sentido. Afinal, “caixão não tem gavetas nem mortalha tem bolsos”. Quem sabe, após a pandemia, algumas pessoas serão mais responsáveis socialmente, contribuindo para o bem-estar de muitos que não possuem nada. 🤝

Redescoberta dos Valores Universais Eternos

Alguns princípios defendidos pela maioria das religiões, tais como bondade, fraternidade, amor, solidariedade e tantos outros, esquecidos com extrema frequência, vêm à tona de forma quase milagrosa. Em circunstâncias com essa, as pessoas se lembram, repentinamente, de como sua prática é simples e benéfica para a construção de um mundo melhor, com uma vantagem adicional: eles geram benefícios não apenas para terceiros, mas também para quem os pratica. É possível que a redescoberta desses princípios faça com que, pelo menos, uma parte da humanidade se interesse em adotar comportamentos e atitudes alinhados com eles. 🙌

Carinho e respeito com os mais velhos

A necessidade imposta pela pandemia, no sentido de redobrar os cuidados e atenções com os idosos, os quais fazem parte maioritária do grupo de risco, faz com que algumas pessoas se conscientizem de que, em muitos casos, simplesmente se esqueceram de seus pais, tios, avôs e outras pessoas da terceira idade, absortos na correria do dia e preocupados apenas com seus próprios interesses. Esta conscientização fará certamente com que, pelo menos alguns, voltem a praticar gestos simples como telefonar, fazer uma visita, interessar-se pela saúde deles, cumprimentá-los quando for seu aniversário, etc. Enfim, coisas tão simples para quem as pratica e tão valiosas para quem as recebe. 🧓👴

Alteração do regime de trabalho

Durante a crise provocada pela pandemia, muitas pessoas tiveram que experimentar, de forma compulsória, o trabalho no regime de home office. Home Office quer dizer escritório em casa e é uma modalidade de trabalho que permite que pessoas e empresas se conectem a distância. 

O que era algo incomum para muitas empresas e pessoas se tornou uma necessidade com a situação mundial em relação à covid-19. 

É perfeitamente possível que, muitas pessoas, mesmo que de forma involuntária, tenham experimentado essa modalidade de trabalho e visualizado algumas vantagens em relação à modalidade tradicional (trabalho na sede, escritórios ou instalações da empresa) e, se dependesse delas, continuariam no regime de home office após o término da pandemia. 

As empresas, por sua vez, decidiram colocar seus funcionários a trabalharem no modo home office, considerando a necessidade de economizar com transporte, alimentação e infraestrutura, além de proteger a saúde dos colaboradores. Hoje, certamente, elas devem ter verificado que, além da economia, essa prática gera aumento na produtividade e qualidade de vida do colaborador. 

Assim, é muito provável que esta modalidade de trabalho aumente, de forma consistente e sustentada nos próximos anos, o que, certamente, constitui uma oportunidade para empresas e empregados. 👨‍💻

Melhorias na Rede de Saúde

Certamente, as dificuldades enfrentadas pelos diversos países, no sentido de ampliar a capacidade de suas redes de saúde, de forma a alinhá-la com a velocidade de contágio do coronavírus, geram a oportunidade de sua ampliação e melhoria. Assim, no futuro, os países estarão mais bem aparelhados para enfrentar pandemias com essa, bem como para outras circunstâncias que gerem uma demanda significativa, em curto período de tempo, de serviços de saúde. 

É provável, também, que alguns países se tornem mais autossuficientes no que se refere à produção de equipamentos hospitalares e de proteção individual. 

Por outro lado, a intensificação das pesquisas científicas sobre a pandemia fará com que, em um futuro próximo, o mundo conte com medicamentos e vacina para o tratamento e prevenção dessa doença, diminuindo, em consequência, sua gravidade e letalidade. Permitem-se, assim, tratamentos similares aos aplicados à gripe H1N1, por exemplo. 💉💊

A Grande Mudança

Um dia, a pandemia causada pelo novo coronavírus acabará, e as pessoas deverão recomeçar suas vidas, de forma normal. 🔄

Na nossa opinião, é exatamente neste momento que surgirá a maior e melhor oportunidade gerada por essa crise. Trata-se da oportunidade de que as pessoas reiniciem suas vidas tendo como balizador um Plano de Vida, considerando tudo o que aprenderam, experimentaram e sentiram durante esta crise. 

O Planejamento Estratégico Pessoal, que é o processo através do qual se elabora o Plano de Vida, é, sem dúvida, o melhor remédio para enfrentar esta situação, considerando que ele nos obriga a fazer uma profunda autoavaliação, a identificar nosso propósito de vida, a fazer escolhas alinhadas com esse propósito, a estabelecer claramente nossos objetivos prioritários, e a formular planos de ação para alcançá-los. Ele nos coloca, efetivamente, no controle das nossas vidas, evitando, assim, o desperdício de tempo, esforços e recursos.

O Planejamento Estratégico Pessoal nos obriga a separar o joio do trigo e a nos focarmos no que é mais importante e pragmático em nossas vidas, aqui e agora. Ele nos oferece as ferramentas para que possamos nos organizar para conquistar nossos objetivos sem perder tempo e sem desperdiçar esforços e outros recursos. 

Sem planejamento, ficamos à mercê dos estímulos e dispersão da vida moderna, e ainda nos tornamos vítimas de nossa própria desorganização interna. O que é prioritário fazer nesse exato momento em nossas vidas? Como fazer? Que rumo tomar na vida, olhando de uma perspectiva mais ampla? Como tomar decisões mais acertadas? Essas e outras questões são amparadas pelo Planejamento Estratégico Pessoal. 🤔

O planejamento funciona como uma profilaxia contra a desorganização, a inércia, a indecisão e até mesmo sensações internas como ansiedade e inquietação, que podem revelar um senso de falta de propósito e direção na vida. 

As surpresas e urgências para alguém que planeja são bem menos impactantes do que para alguém que simplesmente tenta chegar a algum lugar sem plano algum. A capacidade de se manter focado nos objetivos sem se desviar deles também é ampliada quando há algo mais do que a simples vontade de chegar a algum lugar. 

De fato, a correria da vida moderna deixa muita gente estressada. Mudanças são cada dia mais frequentes e, às vezes, até imprevisíveis. 🥵 

Paradoxalmente, no entanto, é nesses momentos em que o Planejamento Estratégico Pessoal se torna indispensável. Para construir seu próprio destino neste tipo de situação, é preciso agir de forma proativa, tomando as rédeas da sua vida. Quanto mais importantes sejam as mudanças que você deseja realizar na sua vida e quanto mais ambiciosos seus objetivos, maior é a necessidade de planejar estrategicamente. Caso contrário, o fracasso será o resultado mais provável. 

O fato é que, num ambiente de mudanças constantes, só o que é planejado é realizado e, principalmente, somente com um plano as coisas acontecem como VOCÊ quer. 

Uma Mensagem Final

A PERSPECTIVA Consultores Associados estuda e pesquisa este tema há muito tempo, e tem plena convicção de quanto o Planejamento Estratégico Pessoal pode ser útil e importante para um grande número de pessoas.

É exatamente essa convicção que nos levou a decidir desenvolver um Programa de Planejamento Estratégico Pessoal, o qual visa a auxiliar aquelas pessoas que sentem alguma dificuldade para elaborar seu Plano Estratégico Pessoal sozinhas.

O Programa é composto por seis etapas e dezoito módulos sequenciais que abordam todos os aspectos envolvidos no processo de elaboração do Plano de Vida ou Plano Estratégico Pessoal.

Se você deseja conhecer mais detalhes sobre o Programa de Planejamento Estratégico Pessoal da Perspectiva Consultores Associados, basta entrar em contato conosco através do e-mail perspectiva@perspect.com.br.

Esperamos que o conteúdo deste post tenha sido de seu interesse, estimulando-o a conhecer outros assuntos vinculados ao processo de Planejamento Estratégico Pessoal.

Esperamos também sua visita frequente ao nosso blog e contamos com você para compartilhar os conteúdos nele apresentados com seus familiares, amigos, colegas de trabalho, etc., através das redes sociais das quais você participa. Desta forma, poderemos contribuir para a melhoria da qualidade de vida de um número significativo de pessoas.

Por favor, deixe seus comentários abaixo. Eles serão sempre do nosso interesse e de todos nossos leitores, ajudando-nos a melhorar de forma continua o conteúdo do blog. 🙂

Deixe seu comentário